quarta-feira, 24 de março de 2010

Dúvida Metódica



Quando ao fim de um belo crepúsculo
Doces lembranças me invadem a mente
Leve surto me percorre a alma
Recordando pálidos dias de amor ardente...

Dias em que meu coração demente
Macerava meu peito morto
Como o cadáver de um marujo
Deixado por um navio no porto.

Pergunto-me se o egoísmo me consumiu
E se somente o meu peito se abriu
Para este amor sem fim...

Ou se em uma noite de angústia e medo
Derramastes em segredo
Uma triste lágrima por mim?!

Um comentário: