quinta-feira, 25 de março de 2010

Ilusão



Oh mulher tão delicada de voz meiga ao falar
Que causa volúpia comum simples olhar
Com seus lindos cabelos que se agitam ao desfilar
É como viver no escuro,
Escoldido de todo o mundo,
E de repente a luz do sol os olhos lhe cegar!

Oh candida mulher de pele alva e macia
Cuja tuas mãos frias
Com um só toque me fazem sonhar...
Sua beleza é tanta
Que a todos encanta
E que me faz por ela apaixonar!

Os teus olhos a luz divina espalham
Enquanto os meus de perto lhe encaram
Cobiçando teus lábios, com vontade de te beijar...
Estes são doces como mél
E por um segundo puderam me levar ao céu
Quem me dera se eu pudesse te amar?!

2 comentários:

Debora disse...

acho esse poema o mais lindo ! s2
:8

Sara disse...

q lindo! O melhor poeta! ♥