quinta-feira, 25 de março de 2010

Lânguidos sonhos



Era noite, eu sonhava
E do meio da neblina ela saia
Doce eflúvio me invade a alma...
Ela veio até mim e me tocou com sua mão fria.

Eu a desejava profundamente
Porém impedido pela incerteza
Em um instante estava me afogando em um beijo
E pude ver sua alma com clareza...

Acordei com um ledo sorrizo
Que desapareceu quando meus olhos eu abri
Pois só viram meu quarto escuro
Decepção flagelante... quase morri!

Malditos sonhos que me atormentam
Que fazem meu coração mais forte bater
Pois os mesmos dão à ele
A esperança de algum dia poder a ter...

Um comentário:

maite disse...

Nossa!Continue assim rsrs
Seu talento vale outro...