terça-feira, 30 de março de 2010

Virgem Fluídica




Minguante e alva figura
Transpira doçura e serenidade
Morreria em teus lábios com um beijo
Que simula alegria pela eternidade.

Anseio acariciar a tua face
Vislumbrar a pele de porcelana
Apertar-te contra meu corpo
E sentirá meu coração que lhe chama.

Queria poder lhe encontrar
Para do teu amor desfrutar,
Oh intangível anjo do céu...

Creio ser insanidade minha
Esperança que agora se definha
Se você aomenos saísse do papel...

Um comentário:

manuela barroso disse...

Angustiantemente...
Poesia!!!
Belo!
Abraço