sábado, 9 de julho de 2011

Alheios



Lirismo do tépido sentimento
Atrai os intensos e sutís
Da-lhes orbita e inspiração
Repugnante à carnais e vís.

Ardente a noite em ledo desconforto
Sentencia o vigor cardíaco
Que observa sua atenção,
Faz-se em breve maníaco...

Gestos e suspiros observados
Poder e mãos atracados
Impedido e frustrado teu pensamento...

O olhar unicamente valorizado
Age frenético e obcecado
No passar de um único momento.

Calmaria



Penúria da lírica ilusão
Desfaz-se em iluminuras
De cristais frágeis e virgens
Admirados previamente.

Prazer obsoleto e inspirador,
Mesmo dubitado marca
A essência diária dos seres
Da existência ínfima e simples...

A partícula sobre a águia
Entre adrenalina e brisas
Desfruta de elixir e liberdade
Constante e as vezes solitária...