segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Outono




Leve folha de outono,
Frágil e moribunda aguarda...
Como passos no corredor da morte
Fartos em experiência e conformação.

A sua seiva foi escoada,
Sua juventude está ausente
Mas sua beleza permanece intacta
Ou mais intensa aos olhos de alguns...

Velha e cansada ela se despede
Desprendendo-se do que foi parte de si
Caindo, observa e sorri para o que está em cima
Vendo seu jovem legado florescer.

A estação que transpira sabedoria
E traz aceitação com ordem e maturidade.
A queda esperada pelos transcedentes
E a partida de grandes gênios...

Um comentário:

§Anjo§ disse...

Olá Dark!
Belíssimo poema! Forte e singelo...

Meu cantinho esta comemorando 01 ano! Estou realizando o sorteio de uma lembrança e também tem selinho comemorativo, não deixe de passar lá e participar. Sua presença é muito importante e especial!
Mil beijinhos
Bye bye
Anita do diarios-do-anjo.blogspot.com